Central Sindical
 
 
UNIÃO SINDICAL DOS TRABALHADORES
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
     
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 


 

 
 

 
UST faz manifestação em 15 de março
 
Dia Nacional de Paralisações
contra a reforma da Previdência
 

A UST e as demais centrais sindicais confirmaram a realização, em 15 de março, de um Dia Nacional de Paralisações e Lutas contra a PEC (Proposta de Emenda à Constituição) 287. Mais uma vez vamos colocar na rua o bloco da luta contra a retirada de direitos da classe trabalhadora e contra o ataque às aposentadorias.

A luta começa no próximo dia 15 de março, teremos um ano de muita mobilização, vamos discutir como enfrentar o que está por vir em 2017. Isto porque a reforma trabalhista também bate à porta, representando uma proposta que aumenta jornada de trabalho semanal e estabelece o contrato temporário ou intermitente, no qual o trabalhador aguardará ser chamado sem receber por esse tempo de espera.

A UST reforça a necessidade de nos unirmos como Centrais Sindicais, discutirmos formas de luta e enfrentamento dessa problemática conjuntura que ameaça não só as condições de vida dos trabalhadores e trabalhadoras.

Várias ações serão realizadas em conjunto para impedir que os deputados aprovem a Proposta de Emenda Constitucional – PEC nº 287, que inviabiliza tanto a concessão de benefícios que representa, na prática, o fim da aposentadoria para milhões de brasileiros. 

A proposta de Temer não significa uma “reforma” da Previdência e sim o fim da aposentadoria, especialmente para os trabalhadores menos qualificados, que entram no mercado de trabalho mais cedo, sem carteira assinada, passam vários períodos desempregados ou subempregados; será o fim da previdência para as mulheres e os trabalhadores rurais.

Em 15 de Março vamos parar!         Nenhum direito a menos!

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
CBAPI - UST
 
         ATO DE ENFRENTAMENTO A REFORMA DA PREVIDÊNCIA
 
CBAPI – Central Brasileira dos Aposentado filiada à Central Sindical UST, promoveu um ato de protesto contra a reforma da Previdência do governo Temer, na manhã desta terça feira, Dia Nacional do Aposentado, 24 de janeiro de 2017, em Santo André- São Paulo
A proposta de reforma da Previdência do governo Temer retira vários direitos do trabalhador, destacamos um, que prevê o estabelecimento de idade mínima em 65 anos para mulheres e homens, a adoção de uma idade mínima para a aposentadoria, que poderá aposentar aos 70 anos. Também está nos planos do governo o corte de benefícios, como o auxílio-doença e a aposentadoria por invalidez.


 

Centrais rejeitam PEC da Previdência

A Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 287, de reforma da Previdência Social, teve rejeição unânime das centrais sindicais, para discutir estratégias de ação, dentro e fora do Congresso. Alguns dirigentes pelegos, defendem a negociação para tentar melhorar o projeto, enquanto outros defendem sua retirada, por entender que não há o que negociar. As entidades planejam fazer manifestações contra a PEC.

"Há uma avaliação preliminar de um posicionamento contrário ao projeto, que afeta em muitas dimensões a vida do trabalhador", afirmou o diretor técnico do Dieese, Clemente Ganz Lúcio. "São mudanças profundas não só para o presente, mas para uma geração futura. Os trabalhadores rurais são gravemente afetados", acrescentou, citando um dos pontos criticados pelos sindicalistas. Para Clemente, uma reforma precisa "aprofundar os princípios igualitários" e não aumentar injustiças.

              

UST Mato Grosso do Sul

Por uma Central Sindical à altura
das necessidades da classe trabalhadora
Durante o dia 19 de novembro 2016 foi realizado o I Encontro Estadual da Central Sindical UST - Mato Grosso do Sul, organizado pelo Presidente Sandro Fantini, com participação especial do Professor Biffe, e com a presença do Edilso Vieira e de Lideranças sindicais e movimentos sociais, presentes cerca de 100 COMPANHEIRAS E COMPANHEIROS. 
A atividade discutiu temas como a conjuntura nacional e as alternativas para os trabalhadores diante da realidade econômica e politica que exige o fortalecimento e unidade das lutas para enfrentar a crise imposta pelo governo. Dessa forma, ocorreu discussão e debates, o que colaborou para que aprofundassem questões como o enfrentamento necessário ao governo, contra o avanço da Reforma Previdenciária e a PEC 241/55, que vem intensificada com o avanço da direita.
O encontro debateu orientação política para enfrentar a crise econômica e política. Sabemos que para manter seus lucros, os patrões estão jogando seus efeitos da crise sobre a classe trabalhadora. Retirada de direitos, demissões, aumento da terceirização, férias coletivas e layoff são alguns dos ataques da patronal.
Foi diante dessa realidade que o I Encontro da Central Sindical UST do Mato Grosso do Sul, teve a oportunidade importante para discutir uma política e um projeto da Central de enfrentamento a esse cenário, pois a tendência é que esses efeitos da crise se aprofundem. No entanto, embora tenhamos tido a participação de trabalhadores de diversos setores que têm participado dos enfrentamentos e das lutas.
O Presidente Carlos Borges fez avalição da UST, entendemos que somos pequenos frente às demais centrais, mas não concordamos com a passividade das demais centrais governistas. Somos o único capaz de levar às últimas consequências as demandas da classe trabalhadora, por mantermos a independência frente aos patrões, partidos políticos e ao governo.
Portanto, devemos estar na vanguarda desse processo e sem manter ilusões nas direções governistas. Somente quando a classe trabalhadora, independente das centrais pelegas e burocrática, se mobilizar é que seremos vitoriosos, esperar que essas centrais governistas deem a dinâmica para a construção da greve geral é ficar na dependência de sua política, temos que contribuir para que a classe trabalhadora se arme com uma política de combate aos ataques dos governos, da patronal e da burocracia sindical.

 
nova diretoria do Sindicato dos Condutores de Batatais - São Paulo
Eleição Sindical, no último dia 26 de setembro foi eleita e empossada a nova diretoria do Sindicato dos Condutores de Veículos Rodoviários de Batatais/SP, segundo o Presidente eleito Paulo Sergio de Almeida, disse que o fato de não haver outra chapa para concorrer às eleições deixa clara a transparência da administração anterior o que é muito bom pois as nossas responsabilidades aumenta principalmente no que tange ao legado deixado pelo ex-presidente José Aparecido de Lima e sua diretoria a qual tive a honra de fazer parte.
    
 
                                                                                                                      
Av. Mateo Bei 1895 - São Paulo - SP CEP 03949-011         +55 11 97737 4820        11 99782 3093